EncontrÁfica

O Laboratório de Estudos Africanos (LEÁFRICA) do Instituto de História da UFRJ convida para mais uma sessão do EncontrÁfrica, com a palestra:

“HISTÓRIA DA ESCRAVIDÃO NUM PORTO AFRICANO: O CASO DE BENGUELA” com a Profª. Drª Mariana Candido da Universidade de Princeton (EUA)

Mariana Candido graduou-se em história pela UFRJ, fez mestrado em estudos africanos no El Colegio de Mexico e doutorado em História da África na York University, em Toronto, Canadá. Lecionou na University of Wisconsin – La Crosse e desde 2008 é professora assistente no departamento de História da Princeton University. Sua especialidade é a História de Angola entre os séculos XVI e XIX. Recentemente publicou Fronteras de Esclavización. Esclavitud, Comercio e Identidad em Benguela, 1780-1850 (El Colegio de Mexico, 2011) e Crossing Memories, Slavery and African Diaspora, com Ana Lucia Araujo e Paul E. Lovejoy (Africa World Press, 2011). No próximo ano será lançado An African Slaving Port on the Atlantic World: Benguela and its Hinterland pela Cambridge University Press. Seus artigos aparecerem em jornais como o Slavery and Abolition, African Economic History, Journal for Eighteenth-Century Studies, Cahiers des Anneaux de la Memoire, Portuguese Studies Review, e Luso-Brazilian Review. Pesquisou em arquivos angolanos (Luanda e Benguela) e portugueses.

O endereço do Instituto de História da UFRJ é Largo do São Francisco, 01- Centro – Rio de Janeiro.

III Feira de Todas as Lutas aproxima movimentos sociais e universidade

Por: Marina Schneider – Núcleo Piratininga de Comunicação (NPC)

O Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IFCS/UFRJ) sediou, na quarta-feira (15.06.11), a III Feira de Todos as Lutas. O objetivo da Feira, que já está na sua terceira edição, é aproximar os movimentos sociais da universidade, diminuindo a distância entre a teoria ensinada nas salas de aula e a experiência prática de organizações e movimentos sociais.

José Pio Néri, o Chumbo, do Assentamento Terra Prometida, faz questão de participar da feira para mostrar aos visitantes que o que ele os companheiros produzem é saudável, de boa qualidade e sem agrotóxicos

Além de vender seus produtos, os membros de movimentos sociais e organizações presentes puderam expor suas lutas e conversar sobre suas atuações com os visitantes. A iniciativa é dos Centros Acadêmicos de História (CAMMA) e de Ciências Sociais (CACS) da UFRJ, em parceria com a Rádio Pulga.

“Este é um espaço fundamental para a universidade, pois coloca estudantes, professores e funcionários em contato com uma realidade que está além da academia”, destaca Antonio Costa, estudante do curso de Psicologia da UFRJ. Ele fez estágio de vivência no Assentamento Terra Prometida, na Baixada Fluminense, e fez questão de ir até o IFCS para reencontrar os amigos e visitar a feira.

José Pio Néri, conhecido como Chumbo, do Assentamento Terra Prometida, disse que o espaço é importante para mostrar para os moradores da cidade a qualidade da produção do assentamento. “Não estamos aqui para ganhar dinheiro. Queremos mostrar que os nossos produtos são puros, sem agrotóxicos, não têm veneno e não fazem mal à saúde”, explica.

Expositores e história

Nesta terceira edição da feira houve exposição e venda de produtos da e Cooperativa da Roça (Maré) Assentamento Terra Prometida (MST) e de publicações da Cooperativa de Livros Faísca, MTD RJ Pela Base e Centro de Estudos Victor Meyer. Foram expostos também os materiais de campanha da Permanente Contra os Agrotóxicos. Além de participar da organização, o Centro Acadêmico de História (CAMMA) e o Centro Acadêmico de Ciências Sociais (CACS) também participaram como expositores, vendendo camisas e canecas.

A primeira edição da feira aconteceu no ano passado. Já a II Feira de Todas as Lutas aconteceu em março de 2011.

Fonte: http://migre.me/5cb5W

CineCamma

Cineclube do CAMMA
Exibição do filme “Utopia e Barbárie”, com a presença do diretor Silvio Tendler.
Onde: IFCS (Instituto de Filosofia e Ciências Sociais – UFRJ), Largo de São Francisco de Paula – Centro. Sala 113.
Quando: 04/05/2011(quarta-feira) às 17hs

Movimentos se encontram na Universidade para a II Feira de Todas as Lutas

por Alan Tygel

feira de todas as lutas

No último dia 30 de março aconteceu no IFCS/UFRJ a 2a edição da Feira de Todas as Lutas. Organizada pelos Centros Acadêmicos de História (CAMMA) e de Ciências Sociais (CACS), da UFRJ, em conjunto com a Rádio Pulga, a feira tornou-se um ponto de encontro entre a universidade e os movimentos sociais.

Nesta edição, além de trazer produtos de assentamentos rurais do MST, a feira também ofereceu ao público produtos de cooperativas urbanas (Faísca, Roça/Maré, e da ocupação Flor do Asfalto) e materais de formação política do Movimento dos Trabalhadores Desempregados pela Base. Participaram ainda da feira a Rádio Pulga, o sebo do CACS e o coletivo URRAH.

feira de todas as lutas

Segundo Isabel Lessa, uma das organizadoras da feira, o objetivo principal é trazer movimentos sociais e cooperativas para dentro do campus: “A primeira edição teve um foco mais rural. Desta vez, agregamos iniciativas urbanas também.” A ideia a partir de agora é fazer uma edição por semestre.

Um dos feirantes mais animados era Seu Chumbo, do Assentamento Terra Prometida (MST). Mesmo com idade já avançada, se orgulhava da produção exposta, toda ela livre de venenos. Batata doce, aipim, frutas, queijo, doces, tudo sem agrotóxico. Veja o depoimento de Seu Chumbo.

feira de todas as lutas

Ainda representando o MST, Ivi Tavares, do Setor de Saúde, expôs a produção de fitoterápicos, fabricados durante os cursos do movimento. Segundo ela, os fitoterápicos servem como forma de questionar o modelo capitalista de medicina. Veja entrevista com Ivi Tavares.

A ocupação Flor do Asfalto trouxe para a feira um pouco do que os integrantes vivenciam em sua comunidade. Além de livros e cartilhas, estavam à venda deliciosos hamburgeres de ervilha e trufas de chocolate. Tudo vegano. “A gente busca emancipação humana e emancipação animal também”, disse Glenda, moradora da ocupação. Veja entrevista com Glenda.

feira de todas as lutas

O MTD Pela Base esteve presente com suas cartilhas de formação “Capitalismo, Anticapitalismo e Organização Popular”. O material, além de fazer parte da iniciativa de apoiar a formação política de diferentes movimentos sociais, gera renda para o movimento e ajuda na realização de atividades. Segundo o movimento, “os resultados da feira foram excelentes. Além da aproximação dos estudantes com os movimentos sociais, a Feira consegue difundir no espaço da universidade, as demandas, lutas e perspectivas dos movimentos sociais que dela participam. O MTD Pela Base ajudou a construir as duas edições da Feira pois entende que é possível estabelecer uma relação de solidariedade
entre esses diferentes movimentos, que tem no trabalho de base, sua principal metodologia para a mudança radical da sociedade.

E assim encerrou-se a segunda edição da feira, que, pelo sucesso obtido entre público e expostores, certamente terá sua próxima edição em breve.

Veja os vídeos feitos na feira.

Fonte: Boletim do MST RIO nº 17 –  http://bit.ly/fxIpoq

II Feira de Todas as Lutas

II FEIRA DE TODAS AS LUTAS!

30/03 – de 12 às 19hs no IFCS
(Lgo. São Francisco de Paula, centro)

Os Centros Acadêmicos de História (CAMMA) e de Ciências Sociais (CACS), da UFRJ, em conjunto com a Rádio Pulga, têm o prazer de realizar a 2ª edição da Feira de Todas as Lutas.

Com a intenção primeira de divulgar os produtos de assentamentos rurais do estado do Rio de Janeiro e de debater a realidade da reforma agrária em nosso país, a Feira de Todas as Lutas se amplia em sua 2ª edição, divulgando também iniciativas de movimentos sociais e cooperativas urbanas. Assim, a Feira ganha novo fôlego, questionando nossa forma de consumo e produção, contando não só com produtos agroecológicos, mas também com produtos oriundos de cooperativas de trabalhadores organizados. Além disso, a Feira busca integrar movimento estudantil a movimentos sociais e populares, trazendo suas lutas para dentro da universidade.

Contaremos com a presença de expositores:
– Assentamento do MST: Terra Prometida
– Cooperativa da Maré: Roça!
– Cooperativa Faísca
– Ocupação Flor do Asfalto
– Sebo do CACS
– Rádio Pulga
– Movimento dos Trabalhadores Desempregados – Pela Base
– Coletivo URRAH

Além disso teremos um debate sobre Questão Agrária durante a tarde.

Contamos com a participação de todos.
CACS, CAMMA e Rádio Pulga

TRAGA SUA SACOLA!

Feminismo: ontem, hoje e sempre

Durante os dias 23 e 24, o CACS em conjunto com o CAMMA, irá realizar atividades que tem como objetivo ampliar o debate sobre a condição da mulher na sociedade brasileira, além disso, compartilhar experiências de resistência a opressão.

Para tal, no primeiro dia (23/03), a partir das 14 hrs,  haverá uma mesa introdutória sobre gênero e o desenvolvimento do feminismo com as Professoras Bila Sorj, Terezinha e um representante de movimento social.

No segundo dia, 24, também a partir das 14 horas, haverá a apresentação do filme “Luto como mãe” seguido de um debate com algumas dessas mulheres e a produção.

Esperamos a presença de vocês!